Lorem ipsum dolor sit amet

A Fundação

Localizada na Quinta da Boa-vista em pleno centro da Maia, a Fundação Gramaxo (FG) pertence à família Gramaxo desde o século XVII e preserva o passado rural, mantendo as várias construções originais — o Solar (privativo), a Eira e Casa da Eira, a Casa dos Caseiros, a Vacaria, a Casa dos Coches (Barracão), o Coreto. O amplo Parque da propriedade sobreviveu à pressão imobiliária e carrega a memória dos antigos campos de cultivo agrícola.

Com o desejo de abrir este lugar privilegiado à comunidade, em particular aos maiatos, e de fomentar as artes e a cultura, em 2013 é constituída a Fundação Gramaxo. Configura-se a ideia para a construção de um Museu, com autoria do Arquiteto Álvaro Siza Vieira, concluído em 2021. O Museu alberga segmentos da Coleção Maria de Fátima Gramaxo, disponibilizando, ainda, uma rede de espaços que acolhe exposições temporárias e um auditório.

Em 2024, sob a direção de Jorge Gramaxo, a FG reabre com novo projeto artístico desenvolvido a partir de três eixos orientadores: Colecionismo, Artes e Arquitetura; Herança Cultural; Natureza e Qualidade de Vida.

FG —MUSEU
Rua Conselheiro Costa Aroso, 601, 4470-590 Maia

FG — PARQUE
Rua Nossa Senhora de Bom Despacho 1936, 4470-639 Maia

Localizada na Quinta da Boa-vista em pleno centro da Maia, a Fundação Gramaxo (FG) pertence à família Gramaxo desde o século XVII e preserva o passado rural, mantendo as várias construções originais — o Solar (privativo), a Eira e Casa da Eira, a Casa dos Caseiros, a Vacaria, a Casa dos Coches (Barracão), o Coreto. O amplo Parque da propriedade sobreviveu à pressão imobiliária e carrega a memória dos antigos campos de cultivo agrícola.

Com o desejo de abrir este lugar privilegiado à comunidade, em particular aos maiatos, e de fomentar as artes e a cultura, em 2013 é constituída a Fundação Gramaxo. Configura-se a ideia para a construção de um Museu, com autoria do Arquiteto Álvaro Siza Vieira, concluído em 2021. O Museu alberga segmentos da Coleção Maria de Fátima Gramaxo, disponibilizando, ainda, uma rede de espaços que acolhe exposições temporárias e um auditório.

Em 2024, sob a direção de Jorge Gramaxo, a FG reabre com novo projeto artístico desenvolvido a partir de três eixos orientadores: Colecionismo, Artes e Arquitetura; Herança Cultural; Natureza e Qualidade de Vida.